quarta-feira , 29 junho 2022
Capa » 2022 » junho » 23

Arquivo Diário: 23/06/2022

Analitica Latin America chega ao fim com anúncio da próxima edição para setembro de 2023

Depois de três dias de corredores cheios, público qualificado e negócios fechados, chegou ao fim, nesta quinta-feira, a Analitica Latin America, feira organizada pela NürnbergMesse Brasil. No último dia, foi anunciada a data da 17ª edição, que acontecerá de 26 a 28 de setembro de 2023. 

Ocasião em que a Quântica Analítica, estreante no evento, espera estar presente. “O nosso intuito na feira era resgatar o contato com clientes que já conhecem a empresa suíça Sotax, que representamos aqui, e apresentar a linha de equipamentos novos da marca. E foi sucesso total! Superou a nossa expectativa. Ano que vem estamos aqui de novo”, afirmou Edson Teixeira, diretor da companhia. 

A Agilent, empresa de produtos de instrumentação e tecnologia, já é parceira de outros anos da Analitica Latin America. Na avaliação de Rosangela Ferraz, Gerente de Marketing, o encontro também foi muito bom. “Sentimos que o público estava bem selecionado e conseguimos fechar bons negócios. Pudemos perceber que os visitantes estavam com bastante interesse em ver os lançamentos e vieram com força total”, revelou. 

Gustavo Lopes, vendedor da Veritas Biotecnologia, compareceu ao São Paulo Expo para visitar o evento. E gostou do que viu. “É a primeira vez que visito a feira, estou achando tudo muito interessante. Para nós, que trabalhamos no setor comercial, é fundamental acompanhar as inovações da área. Conseguimos trocar experiências e falar sobre o mercado, além de ter contato com equipamentos lançados especialmente na Analitica Latin America”, afirmou.

Empresas comemoram reencontro da indústria química analítica

Foi um longo período de distância devido à pandemia. No ano passado, em função da Covid-19, a Analitica Latin America teve apenas um pavilhão dentro da FCE Pharma e FCE Cosmetique. Mas a sua importância demanda um encontro exclusivo. E ele pôde ser realizado esta semana no São Paulo Expo. 

“A indústria química analítica representa um dos mais importantes e dinâmicos setores da economia brasileira. É uma das 10 maiores participações no PIB industrial do país. Por isso é tão gratificante voltar a realizar este evento”, comemorou João Paulo Picolo, presidente da NürnbergMesse Brasil, promotora do encontro de negócios. A feira engloba tecnologia para laboratórios, análises, biotecnologia e controle de qualidade. De 21 a 23 de junho, reuniu diferentes segmentos, como o farmacêutico, cosmético, alimentício, petroquímico, do agronegócio, entre outros. 

Para a marca expositora Waters, a Analitica Latin America é a maior e mais importante feira que a empresa participa. “Para o retorno aos eventos presenciais depois da pandemia, tínhamos uma expectativa muito grande para receber as pessoas em nosso estande e ela foi atendida. Tínhamos em torno de 30 funcionários para conseguir atender à demanda de visitantes. Nossa experiência é sempre muito boa desde a primeira edição do evento”, revelou Jane Finzi, Gerente de Marketing da empresa. 

O Analista de Marketing da Pensalab, Marcos Barbosa, afirmou que o retorno pós-feira é sempre gratificante. “O evento nos proporciona conhecer pessoas dos mais diversos segmentos de atuação no setor analítico e, com isso, estabelecer novos contatos. A Pensalab participa da Analitica Latin America há 12 anos e, com certeza, ano que vem estará aqui novamente”.

Empresas investem em tecnologia para controle de vacinas contra Covid-19

O assunto “vacinas” ganhou mais evidência desde que a pandemia do coronavírus impactou o mundo, já que a imunização se mostrou a medida mais eficaz para evitar o contágio e reduzir os efeitos da infecção. Só no Brasil, de acordo com os dados do consórcio de veículos de imprensa, 167.089.895 brasileiros já foram imunizados com a segunda dose ou a dose única da vacina contra a Covid-19. O número representa 77,78% da população total do país.

A MGI está entre as empresas que ajudaram nesse processo. A fabricante conta com um equipamento com função de sequenciamento genético, que utiliza a tecnologia DNBSEQ e permite identificar a cepa do vírus da pessoa infectada. A informação é fundamental para o controle epidemiológico e a identificação da necessidade de aprimoramento das vacinas. 

Durante a Analitica Latin America, Feira Internacional de Tecnologia para Laboratórios, Análises, Biotecnologia e Controle de Qualidade, a Cientista de Aplicações da marca, Karina Yanagui, explicou o funcionamento. “O sequenciador faz a leitura do vírus, que nos dá a informação genética para compararmos com o alvo da vacina e verificar se ela é eficaz contra essa variante ou alguma nova cepa do coronavírus. Além disso, identifica até 768 amostras simultaneamente”.

Quem também mostrou eficiência na pandemia foi a Corning Brasil. Por meio das tecnologias de cultivo celular, incluindo Hyper, exclusiva da marca, as produções de vacinas puderam ser ampliadas em até 10 vezes. “A tecnologia de cultivo celular nesta plataforma permite a multiplicação das células de forma mais ágil que o tradicional. Com essa aceleração, permitimos que mais vacinas fossem fabricadas em um tempo mais curto de operação”, afirmou Sheila Lima, Gerente de Vendas da América do Sul, também durante o evento.

Genomma Lab Brasil investe em programa de compliance para mitigar riscos e aumentar sua competitividade no mercado farmacêutico

O trabalho envolve um esforço coletivo de equipes para que a empresa esteja alinhada às legislações brasileiras e entra em nova fase no mês de junho

A adoção de boas práticas tem sido uma meta da Genomma Lab no Brasil. Por meio de um programa de compliance, a empresa, que este ano completa 15 anos de atuação no país, tem garantido o cumprimento a normas legais e regulamentares junto aos órgãos mais exigentes, como é o caso da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Para isso, realiza anualmente uma série de procedimentos para a checagem de sua linha de produtos.

Neste mês de junho, a equipe liderada por Fábio Gandra, gerente de assuntos regulatórios da Genomma Lab Brasil, está iniciando o processo para garantir 100% de compliance do ponto de vista regulatório nos produtos comercializados pela filial brasileira. A primeira fase consiste em colher dados por meio da compra de medicamentos, cosméticos, suplementos e produtos para a saúde, todos do portfólio da empresa, em algumas farmácias e drogarias, e iniciar um processo de investigação minuciosa para análise de todas as informações legais em cartuchos, rótulos e bulas/folhetos. “Ao realizarmos esse controle, asseguramos ao nosso consumidor a integridade da informação, primordial para o uso seguro dos produtos, bem como garantimos alinhamento às legislações vigentes”, conta.

Em seguida, é feita a verificação dos dossiês de registro dos produtos. “Fazemos um diagnóstico como se fôssemos registrar o produto na Anvisa pela primeira vez, para certificar que todas as informações estejam seguindo as determinações atualizadas da agência”. Com essas ações, segundo ele, é possível identificar desvios de qualidade e/ou regulatório e realizar o devido ajuste, quando necessário. “O nosso objetivo é o de prevenir, detectar e corrigir eventuais inconsistências nas informações prestadas e nos produtos vendidos no país. Somos um grupo enxuto e com muita experiência nesse mercado. Assumimos o compromisso de atuar de forma ética, íntegra e transparente, por isso adotamos um sistema de conformidade inspirado nas melhores práticas e no respeito às leis”. Segundo ele, para isso, a equipe precisa estar sempre atualizada em relação aos regulamentos e aos prazos de adequação às novas leis. “Dessa maneira protegemos a reputação da Genomma Lab e reforçamos a confiança de nossos clientes, consumidores e fornecedores”, garante.

Produtos fora de compliance podem afetar diretamente os resultados da empresa, já que cancelamentos ou suspensões impedem as vendas, além de afetar a reputação. “Todo o negócio está garantido a partir do momento em que nos comprometemos a entregar um portfólio com 100% de compliance”.

De acordo com o executivo, outro ponto fundamental para o sucesso da empreitada está relacionado ao papel do setor regulatório no suporte à inovação. “Contamos com um sistema de inteligência competitiva para que possamos tomar decisões mais seguras e em tempo real. “O time de assuntos regulatórios da Genomma Lab participa de todas as etapas de execução de um projeto. Isso inclui análise de mercado, prospecção de oportunidades, caracterização dos principais competidores, público-alvo, definição dos parceiros comerciais, criação da marca, campanha de lançamento e controle dos prazos. Dessa forma, atuamos com conhecimento e inteligência para que nossas metas sejam alcançadas no prazo esperado, gerando valor à empresa e a seus funcionários”, completa Gandra.

Novas leis de fármacos esperam regras para adequação

Recentemente, o governo brasileiro aprovou a lei que regulamenta bulas digitais para medicamentos. O projeto determina que laboratórios farmacêuticos insiram um QR Code nas embalagens dos medicamentos para acesso à versão digital da bula.

Para a Genomma Lab, as mudanças são positivas, principalmente para o setor de medicamentos isentos de prescrição médica. “Acreditamos que a nova lei possibilitará o acesso de mais pessoas à consulta das informações das bulas, em especial aquelas que convivem com algum tipo de deficiência visual ou mesmo dificuldade de leitura, já que a versão digital possibilitará um formato de texto para facilitar a leitura e a compreensão, bem como a possibilidade de conversão em áudio, o que contribui para o uso correto e seguro dos medicamentos”, destaca.

O novo projeto ainda altera a regra de rastreabilidade. Com isso, os laboratórios terão que criar um sistema próprio que permita a elaboração de mapa de distribuição de medicamentos, identificando os quantitativos de comercialização e distribuição para cada lote.

“É por tudo isso que é sempre importante termos todos os processos internos mapeados e alinhados. Ou seja, se alguma legislação determina que devemos realizar algo — ou nos proíbe de realizar algo –, nós aceitamos e cumprimos. E o nosso setor regulatório, tem grande responsabilidade para nortear e proteger, da melhor forma possível, as atividades da Genomma Lab no Brasil”.

Anvisa recebe pedido de reforço da Pfizer para crianças de 5 a 11 anos

O pedido é para aplicação do reforço pelo menos 5 meses após a segunda dose do esquema inicial.


A Anvisa recebeu na terça-feira (21/6) o pedido da empresa Pfizer para a inclusão da dose de reforço na bula de sua vacina contra Covid (Comirnaty), para crianças de 5 a 11 anos. O pedido é para aplicação do reforço pelo menos 5 meses após a segunda dose do esquema inicial.

Para esta análise, a Anvisa vai avaliar os dados clínicos apresentados pela empresa. Estes dados devem comprovar o benefício da dose adicional para este público específico.

O prazo de análise da Anvisa para este pedido é de 30 dias. Como se trata de vacina já registrada, a decisão é feita pelas áreas técnicas envolvidas.

Atualmente, a Comirnaty já prevê em bula a dose de reforço para a faixa etária a partir de 12 anos de idade.

Fonte: Anvisa

× Fale com os gestores