segunda-feira , 23 novembro 2020
Capa » Medicina » Saiba como fazer máscaras de proteção facial usando impressoras 3D

Saiba como fazer máscaras de proteção facial usando impressoras 3D

Estamos atravessando tempos difíceis por conta da rápida propagação da COVID-19. O setor de saúde, que já passa por grandes desafios normalmente, está ainda mais sensível e carente. Sabemos que há muito a ser feito, mas acreditamos que pequenos gestos e iniciativas podem fazer a diferença – e muito – no resultado final, que é salvar o máximo de vidas e cuidar da sociedade como um todo.

Por aqui, sempre tivemos o compromisso com a qualidade da saúde, seja aprimorando o conhecimento médico em todo o Brasil ou por meio do atendimento gratuito e a realização de exames de diagnóstico por imagem em mais de 110 mil pacientes por ano. Além de muito solidários e gratos aos profissionais que estão na estão na linha de frente no combate à COVID-19, também estamos muito preocupados com a saúde de todos. Por isso, era mais do que mandatório nos engajarmos. Fazermos a nossa parte.

O objetivo de compartilhar essa ideia é inspirar e encorajar outras pessoas, empresas ou instituições de saúde, ou não, a aderirem a esse pequeno movimento. Com base em um projeto disponível na Internet, usando folhas A4 de acetato 0,3mm, PLA (que é um tipo de plástico biodegradável) e uma fita de fixação de velcro e uma impressora 3D do nosso núcleo de inovação, estamos fabricando protetores faciais. Essas viseiras serão doadas a algumas instituições de saúde públicas.

Estamos a todo vapor por aqui, imprimindo 24 horas por dia. A capacidade de produção é de 16 máscaras por dia. O maior gargalo, além do tempo para uma impressão com qualidade adequada, tem sido a dificuldade de conseguir matéria-prima de boa qualidade no atual cenário da pandemia. Neste momento temos material para assegurar a fabricação de 200 protetores. O primeiro lote, com 100 unidades, está sendo doado nessa semana para quatro instituições de saúde, em São Paulo. O volume infelizmente não é o atualmente demandado, mas sabemos que, sem dúvida nenhuma, serão extremamente úteis.

Seguimos empenhados em apoiar e manter sempre o propósito de fazer muito bem, o que sabemos fazer, para que o bem seja feito, em prol da nossa sociedade. Acreditamos que o bem também pode ser contagioso e seguiremos compartilhando nossas ideias. Assista ao vídeo enviado junto com os kits, que mostra como montar esse EPI.

Dr. Sebastião Zanforlin dirige o núcleo de inovação do Cetrus, Centro de Ensino Superior Especializado em Diagnóstico por Imagem

Sobre admin

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Fale com os gestores