terça-feira , 25 junho 2024
Capa » Notícias » Roche Diagnóstica lança ensaios que auxiliam os laboratórios na identificação de Gripe Aviária e Febre Maculosa

Roche Diagnóstica lança ensaios que auxiliam os laboratórios na identificação de Gripe Aviária e Febre Maculosa

Identificação rápida da doença é fundamental para o tratamento, já que as enfermidades podem levar a óbito

São Paulo, julho de 2023 – O Brasil entrou na rota de atenção da Gripe Aviária (Influenza H5N1), com casos da doença confirmados em aves no país, e da Febre Maculosa, com pacientes acometidos pela bactéria transmitida pela picada do carrapato. Criar soluções que trazem precisão ao diagnóstico é fundamental para o monitoramento e combate a essas enfermidades, por isso, a Roche Diagnóstica desenvolveu soluções em qPCR que auxiliam laboratórios na identificação do vírus Influenza H5 e do grupo de bactérias responsáveis pela febre maculosa, a família Rickettsiaceae. A Roche Diagnóstica é pioneira em soluções moleculares e foi a primeira empresa a ter o teste RT-PCR de Covid-19 aprovado no Brasil, no início de 2020.

Desde o primeiro caso registrado de gripe aviária em aves em maio de 2023 até o dia 13 de julho deste ano, foram notificados pelo Ministério da Agricultura e Pecuária 63 casos, destes 62 em aves silvestres e 1 em ave doméstica de subsistência¹. O H5N1 é um subtipo do vírus Influenza que atinge, de forma predominante, as aves, sendo que os casos em humanos são raros, mas apresentam uma elevada letalidade. A transmissão da doença ocorre por meio de exposição direta entre as aves contaminadas, podendo acontecer também para mamíferos, como o ser humano, por meio do contato com fluídos e secreções de aves contaminadas².

O tempo médio de incubação em humanos para a doença é de sete dias desde a exposição às aves infectadas até o aparecimento dos primeiros sintomas, no entanto, períodos de incubação mais curtos entre 3 e 5 dias também são registrados³.. Os sintomas mais comuns são febre alta (acima de 38°C), tosse, dor de garganta e dores musculares. A infecção pode progredir rapidamente para doença respiratória grave (por exemplo, dificuldade em respirar ou falta de ar, pneumonia e Síndrome do Desconforto Respiratório Agudo), e alterações neurológicas (estado mental alterado ou convulsões)4. A letalidade da doença em casos confirmados com manifestações clínicas foi de 53% em todo o mundo, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS)5.

Neste sentido, a identificação rápida e precisa do vírus H5N1 é extremamente importante para a rápida confirmação de casos suspeitos e adoção de medidas de contenção2. O kit LightMix® Modular Influenza A H5 (RUO) é uma solução de qPCR da Roche Diagnóstica que auxilia o laboratório na identificação do subtipo H5 do vírus Influenza, responsável pelas infecções de Influenza Aviária de Alta Patogenicidade (IAAP) ou Influenza Aviária de Baixa Patogenicidade (IABP). As amostras coletadas são de swab nasofaríngeo, garganta, nasal ou aspirado endotraqueal, escarro, lavado bronquial e broncoalveolar.

Já a Febre Maculosa é uma doença infecciosa, febril aguda e de gravidade variável, que pode acometer desde as formas clínicas leves e atípicas até formas graves, com elevada taxa de letalidade. Ela é causada por uma bactéria do gênero Rickettsia, transmitida pela picada do carrapato. No Brasil, duas espécies estão associadas a quadros clínicos da doença: a Rickettsia rickettsii, que leva ao quadro de Febre Maculosa Brasileira (FMB) considerada a doença grave, registrada no norte do Estado do Paraná e nos Estados da Região Sudeste; e a Rickettsia parkeri, que tem sido identificada em ambientes de Mata Atlântica (Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Bahia e Ceará), produzindo quadros clínicos menos graves6.

Os carrapatos permanecem infectados durante toda a vida, em geral de 18 a 36 meses7. O período de incubação da doença, ou seja, período da infecção até manifestação dos primeiros sintomas em humanos é de 2 a 14 dias, mas pode variar de acordo com cada pessoa8. Os principais sintomas característicos são: febre, dor de cabeça intensa, náuseas e vômitos, diarreia e dor abdominal, dor muscular constante, inchaço e vermelhidão nas palmas das mãos e sola dos pés, gangrena nos dedos e orelhas, paralisia dos membros que inicia nas pernas e se dissemina até os pulmões causando parada respiratória8.

O diagnóstico é muito difícil, principalmente durante os primeiros dias, porque os sintomas são parecidos com outras enfermidades, como leptospirose, dengue, hepatite viral, salmonelose, encefalite, malária, meningite, sarampo, lúpus e pneumonia6. No entanto, o profissional de saúde deve realizar a avaliação dos sintomas e risco de exposição do paciente, levando em conta o local de residência e contato com regiões de mata, florestas, fazendas, trilhas ecológicas, onde possa ter sido picado por um carrapato.

O kit LightMix® Modular Rickettsia spp. (RUO) é a solução de qPCR da Roche Diagnóstica que pode auxiliar os laboratórios na identificação das duas espécies do grupo de bactérias Gram-negativas intracelulares: a Rickettsia rickettsii, que leva ao quadro mais grave; e a Rickettsia parkeri, produzindo quadros clínicos menos graves. O teste, feito com amostras coletadas de pele ou sangue total, é indicado especialmente para os casos de suspeita clínica e epidemiológica de FMB, e recomenda-se o uso na fase inicial da doença.

Referências:

  1. Ministério da Agricultura e Pecuária: Link
  2. Krammer, Florian, and Stacey Schultz-Cherry. “We need to keep an eye on avian influenza.” Nature Reviews Immunology 23.5 (2023): 267-268.
  3. European Centre for Disease Prevention and Control (ECDC). Factsheet on A(H5N1). Disponível em: Link
  4. Gripe aviária: Como humanos pegam? Quantas pessoas já foram infectadas? Tire dúvidas: Link
  5. Instituto Butantan: https://butantan.gov.br/noticias/butantan-inicia-o-desenvolvimento-da-primeira-vacina-contra-gripe-aviaria-para-humanos-do-brasil#:~:text=Apesar%20de%20a%20gripe%20avi%C3%A1ria,Mundial%20da%20Sa%C3%BAde%20(OMS).
  6. Brasil. Ministério da Saúde. Febre Maculosa. 2023. Disponível em: Link
  7. Governo do Estado do Espírito Santo: Link 
  8. Brasil. Ministério da Saúde. Febre maculosa: aspectos epidemiológicos, clínicos e ambientais. 2023.Disponível em:Link

Sobre admin

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

× Fale com os gestores