terça-feira , 20 abril 2021
Capa » Notícias » Receita líquida da Biomm cresce 5,5 vezes em 2020, em comparação com 2019

Receita líquida da Biomm cresce 5,5 vezes em 2020, em comparação com 2019

Biomm alcançou resultados operacionais propostos para o ano, mesmo com pandemia

São Paulo, 29 de março de 2021 – A Biomm, pioneira no setor de biomedicamentos no Brasil, registra crescimento de 5,5 vezes da sua receita líquida, alcançando a marca de R$ 58,6 milhões em 2020, ante R$ 8,9 milhões em 2019, em seu primeiro ano completo de vendas.

O lucro bruto da companhia passou de R$ 521 mil em 2019 para R$ 13,9 milhões em 2020. O endividamento líquido caiu 12,8%, de R$ 35,7 milhões, em 2019, para R$ 31,1 milhões, no ano de 2020.

O EBITDA consolidado foi negativo em R$ 45,080 milhões em 2020 contra R$ 47,994 milhões em 2019, apresentando uma elevação de 6% na comparação com o ano de 2019.

Ainda no ano passado, a companhia investiu em sua força de vendas, com recursos destinados às áreas de marketing e propaganda. Além disso, contou também com despesas regulatórias e de licenciamento de medicamentos juntos as empresas parceiras. Estes investimentos resultaram no aumento das despesas operacionais, (R$69,5 milhões no ano de 2020 ante R$53,1 milhões em 2019, o que representa um aumento de 31%) o que permitiu aumento de 556% nas vendas de 2020.

O ano de 2020 também marca a entrada da Biomm no mercado de insulinas brasileiro, com a comercialização do Wosulin, insulina humana, e da inalável Afrezza. Além disso, foi o primeiro período completo de vendas do Herzuma, medicamento oncológico usado no tratamento de câncer de mama. A companhia alcançou market share de 11% e 3,3% para a linha de produtos Herzuma e Wosulin, respectivamente.

“Ainda que pese todos os desafios e incertezas impostos pela pandemia, bem como a desvalorização cambial do real frente ao dólar, que aumentaram os custos dos medicamentos e despesas financeiras, é importante destacar que a Biomm cresceu e incrementou suas operações em 2020, seguindo a expansão das suas atividades”, afirma o CEO Heraldo Marchezini.

A Biomm firmou ainda parcerias importantes visando a ampliação do seu portfólio de produtos biológicos e a continuação do seu projeto de expansão e crescimento no mercado brasileiro de biotecnologia.

Os principais destaques do ano passado foram:

  • Aprovação do registro de preços da Afrezza, insulina inalável, e início das vendas em janeiro de 2020;
  • Aprovação do preço do Wosulin e início da sua comercialização e distribuição com apresentação NPH e regular em todo o Brasil, no segundo trimestre;
  • Celebração do acordo de exclusividade de licenciamento, fornecimento, comercialização e distribuição do Ghemaxan junto à empresa italiana Chemi, em abril e aprovação pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) no Brasil em setembro de 2020. O biomedicamento é indicado na profilaxia e tratamento da trombose venosa profunda (TVP), assim como da angina instável e, também, amplamente utilizado no tratamento da Covid-19;
  • Obtenção do pós-registro do Glargilin (glargina), em maio de 2020, com objetivo de ampliar o acesso à insulina a 16,8 milhões de pacientes no país;
  • Formalização de acordo de exclusividade de licenciamento, fornecimento, comercialização e distribuição, em todo o Brasil, do medicamento biossimilar Teriparatida, indicado para o tratamento da osteoporose, junto à empresa Enzene Biosciences Limited (“Enzene”), em novembro de 2020;
  • Celebração de acordo de exclusividade para o licenciamento, fornecimento, comercialização e distribuição em todo território nacional, do medicamento biológico Bevacizumabe, usado no tratamento de diferentes tipos de câncer, em dezembro de 2020, junto à biofarmacêutica chinesa Bio-Thera;
  • Crescimento consistente do volume de vendas e da receita líquida da companhia, trimestre após trimestre ao longo do ano.

A companhia busca a consolidação no mercado de biomedicamentos com soluções principalmente nas áreas de oncologia, diabetes e anticoagulantes, além de outros mercados como o de osteoporose.

A fábrica da Biomm em Nova Lima (MG) segue se preparando para cumprir os requisitos necessários para aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). A unidade foi construída com o objetivo de proporcionar ao Brasil independência produtiva de medicamentos de alta tecnologia, como análogos de insulina e outros medicamentos biológicos.

Sobre admin

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Fale com os gestores