sexta-feira , 1 julho 2022
Capa » HVAC-R » Eficiência Energética, Qualidade do Ar e Fluidos Refrigerantes são temas do CIAR CONBRAVA 2017

Eficiência Energética, Qualidade do Ar e Fluidos Refrigerantes são temas do CIAR CONBRAVA 2017

Entre os dias 12 e 15 de setembro acontece o CIAR-CONBRAVA 2017, evento que une o XIV CIAR –  Congresso Ibero-Americano de Climatização e Refrigeração e o XV CONBRAVA -Congresso Brasileiro de Refrigeração, Ar Condicionado, Ventilação, Aquecimento e Tratamento de Ar, juntos e focados no tema “Pesquisar, Inovar, climatizar e Refrigerar” com o propósito de reforçar a importância do HVAC-R na qualidade de vida. Com o objetivo de troca de experiência e atualização técnica, neste fórum estarão reunidas comunidades técnicas e acadêmicas. O Congresso é direcionado à indústria, comércio, serviços, e, setores clientes como Shopping Centers, Bancos, Hotéis, Hospitais, Laboratórios, Supermercados, indústrias e outros. Na programação além das mesas-redondas, palestras nacionais e internacionais, cursos e exposição de painéis.

Para o presidente do CIAR-CONBRAVA 2017 e da FAIAR, Wadi Tadeu Neaime, “ A interação gerada nestes eventos é fundamental para validação e assimilação do pensamento técnico mundial.

A realização das mesas-redondas faz parte da programação do CIAR CONBRAVA 2017, e tem por objetivo levar para cada uma das ocasiões especialistas renomados, convidados a levarem para mesa informações e suas opiniões sobre as temáticas em questão.

Eficiência energética

No comando da mesa-redonda de Eficiência Energética o eng. José Carlos Felamingo, Union Rhac, convidou para esta discussão: Prof. João Pereira da Silva Neto, da FATEC de Itaquera; eng. Raul José de Almeida, da Teknika; Pablo Becker, diretor de Eficiência Energética da CPFL; e, Dra. Suely Maria Machado Carvalho especialista em energia.

Na pauta a inserção do ar condicionado (AC) no programa de Geração Distribuída (GD) de energia elétrica da ANEEL, criando assim oportunidades para o setor do HVAC, por meio da interface que tem com os sistemas de cogeração qualificados, conforme consta da Resolução Normativa nº 687, de 24/11/2015, da ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica), que qualifica as instalações como “micro geração” (até 75KW) ou mini geração (de 75kW a 5.000KW).

As centrais de água gelada (CAG) existentes podem se interfacear com os sistemas de cogeração, beneficiando-se da Resolução Normativa 687, uma vez que a CAG pode ser considerada como um “hospedeiro térmico”, onde a água gelada gerada a partir do subproduto térmico do grupo moto gerador da cogeração será utilizada no “site”, enquanto que a EE, por sua vez, poderá tanto ser “exportada”, como usada localmente.

O sistema ar condicionado (AC) por expansão indireta (água gelada) é estratégico para a instalação de GD. Esta, por sua vez, tem sua aplicação onde a distribuição de EE é mais concentrada, devido ao grande número de unidades consumidora numa mesma localidade, dificultando para os consumidores de EE a ampliação da demanda instalada.  Dessa maneira, ao se instalar um sistema de cogeração qualificado, visando a GD, resolve-se dois problemas ao mesmo tempo: primeiro, o da dificuldade em se obter da concessionária ampliação da demanda de EE, e segundo, o do sistema de AC., uma vez que a geração de água gelada, obtida através da cogeração, reduz a demanda de EE que era antes destinada aos chillers elétricos existentes.

A EE, fruto da cogeração compartilha, poderá ser compensada por outras unidades consumidoras fora da planta, ou mesmo dentro dela, desde que se alinhem com os requisitos da RN n° 687 da ANEEL.

Fluido Refrigerante

A mesa-redonda de fluido refrigerante será comandada pelo Prof. Dr. Roberto de Aguiar Peixoto, Instituto Mauá de Tecnologia, que terá como convidados: Magna Luduvice – Ministério do Meio Ambiente; Paulo Neulaender – vice-presidente de Meio Ambiente da ABRAVA, Arthur Ngai – Chemours; Gustavo Pottker – Honeyweel ;  Ênio Bandarra –  Universidade Federal de Uberlândia; e, Paulo Napoli – Arkema.

Para a ocasião está prevista a apresentação das alternativas e dos projetos em curso sobre a substituição de fluidos refrigerantes. Será uma oportunidade de discussões sobre a eliminação dos HCFCs e do “phase-down” de HFCs recentemente aprovado por parte do Protocolo de Montreal “Kigali Amendment”, A mesa-redonda contará com a participação de 5 debatedores e um facilitador. Cada participante fará uma apresentação sob aspectos técnicos; legais; políticas e medidas regulatórias deverão ser abordados nessas apresentações.  O contexto atual é caracterizado pela progressão da eliminação de hidro clorofluorcarbonos (HCFCs) e do “phase-down” de HFCs sob o Protocolo de Montreal.

Espera-se que haja uma aplicação consideravelmente maior em todo o mundo, e em particular nos países em desenvolvimento de ‘fluidos refrigerantes alternativos ” hidrocarbonetos, amônia, o dióxido de carbono, hidrofluorocarbonetos insaturados (HFOs) – ou misturas HFCs e HFOs. Muitos destes fluidos refrigerantes alternativos têm características específicas em termos de toxicidade, inflamabilidade e alta pressão, que são diferentes daquelas apresentadas anteriormente pelos CFCs e HCFCs e HFCs. Essas questões junto com aspectos econômicos, treinamento, transferência de tecnologia, deverão estar presentes intensamente no setor de refrigeração e ar condicionado no presente e no futuro próximo

Qualidade do Ar

Na coordenação da mesa-redonda de Qualidade do Ar o eng° Celso Simões Alexandre, Trox Brasil, que tratará de assuntos como normas de filtros 16890, revisão da NBR 16401, validade de CO² como marcador para a Qualidade do Ar de Interiores e influência de valores de vazão de ar externo para QAI.

Como convidados desta mesa: Eng. Paulino Pastor – Federação Espanhola FEDECAI; o eng° Leonardo Cozac – Conforlab membro Qualindoor/ABRAVA; o eng° Mário Alexandre da ASBRAV; o eng° Wili Hoffmann – Klimatu; Prof.  Dr. Antonio Luís de Campos Mariani – USP -Politécnica; e, Dr Sidney de Oliveira representando a OAB.

Na ocasião várias temáticas serão abordadas em torno da Qualidade de Ar de Interiores, como a fiscalização em sistemas de ar condicionado pelos agentes públicos no país, desde início da atuação da COVISA na cidade de SP em 2004 até a atual capacitação da Anvisa em 06 capitais do país para Inspeção de portos e aeroportos. O controle da concentração de material particulado nos ambientes internos e o controle com utilização de filtros de ar segundo o procedimento que está sendo introduzido na revisão da NBR 16401, também está em pauta, assim como, a parcela PM 2,5 que tem maior efeito sobre a saúde e segurança dos ocupantes.

As inscrições estão abertas e a programação completa do CIAR-CONBRAVA 2017 devem ser consultadas no www.conbrava.com.br.

Sobre admin

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

× Fale com os gestores