quinta-feira , 25 julho 2024
Capa » Investimentos » Brainfarma e Equatorial investem R$ 20 milhões em novas subestações de energia no DAIA, em Anápolis

Brainfarma e Equatorial investem R$ 20 milhões em novas subestações de energia no DAIA, em Anápolis

Instalações melhoram desempenho ambiental da farmacêutica, que reduz consumo de combustível fóssil, e aumenta a disponibilidade de energia elétrica para o Distrito Agroindustrial

Anápolis, outubro de 2023 – A Brainfarma, em parceria com a Equatorial Goiás, construiu duas novas subestações para aumentar a disponibilidade de energia no Distrito Agroindustrial de Anápolis (DAIA) e fazer frente a sua própria demanda por eletricidade, com investimentos de mais de R$ 20 milhões da companhia. A Subestação Brainfarma é da empresa do setor farmacêutico e a Subestação São Vicente ficará sob gestão da distribuidora de energia, que vai ressarcir o investimento inicialmente feito pela Brainfarma, que é parte do Grupo Hypera Pharma.

 A nova Subestação São Vicente recebe energia de linhas que chegam da Subestação Santa Genoveva, em Goiânia, e da Subestação DAIA, em Anápolis. Já a Subestação Brainfarma tem a finalidade de atender às necessidades da fábrica em Anápolis e está munida de dois transformadores de 12,5 MVA cada. A Brainfarma também construiu uma linha de distribuição de alta tensão, com 800 metros de extensão, interligando a Subestação São Vicente à linha Genoveva-Daia. Após a construção, a unidade São Vicente e a linha de transmissão foram concedidas para a Equatorial Goiás, que agora é a responsável pela operação dos ativos e vai ressarcir a Brainfarma pelas obras.

O investimento faz parte da estratégia ESG da Brainfarma, subsidiária do Grupo Hypera Pharma, que inclui diversas ações que promovem a preservação ambiental, inclusive a redução do consumo de energia e de água em sua operação. A Brainfarma também deixará de consumir cerca de 240 mil litros de combustível fóssil por mês, com impacto direto sobre as emissões de gases estufa pela empresa: a estimativa é de uma redução de 20% de emissões diretas de CO2, equivalentes a cerca de 6.800 toneladas.

“Com essa iniciativa, a Brainfarma reafirma seu compromisso com o desenvolvimento sustentável e a excelência operacional não apenas da companhia, mas também da região em que estamos instalados. A subestação fortalece a infraestrutura energética no DAIA por meio do uso de energia limpa, reduzindo o consumo de combustível fóssil e, consequentemente, a emissão de carbono”, afirma Daniela Castanho, diretora-executiva de Operações Industriais da Brainfarma.

O presidente da Equatorial Goiás, Lener Jayme, destaca que a obra não beneficia apenas a Brainfarma, mas todo o Distrito Agroindustrial de Anápolis, visto que a farmacêutica foi desconectada da Subestação Daia, liberando assim 7 MVA para atender novas cargas na região, além de promover mais confiabilidade no fornecimento de energia. “Este é nosso compromisso. Não estamos medindo esforços para transformar a realidade do fornecimento de energia em Goiás. Somente em Anápolis, neste ano,  estamos construindo a nova linha Pireneus-Daia, reconstruímos a Subestação Anápolis Universitário e ampliamos e melhoramos as Subestações Daia e Jundiaí”.

Sobre a Brainfarma

A Brainfarma Indústria Química e Farmacêutica S.A. é uma das maiores fabricantes de medicamentos do Brasil. Conta hoje com um dos mais modernos centros de pesquisa e desenvolvimento de produtos farmacêuticos no país. Sua principal unidade se localiza em Anápolis (GO), uma das maiores fábricas de medicamentos da América Latina, com cerca de 160 mil metros quadrados de áreas construída, que abriga mais de 5500 colaboradores e tem capacidade para produzir mais de 830 itens distintos, nas mais variadas formas farmacêuticas: sólidos, líquidos, semissólidos, efervescentes, injetáveis, aerossóis, dentre outras.

Sobre admin

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

× Fale com os gestores