sábado , 13 julho 2024
Capa » Cadeia fria » Líderes do mercado farmacêutico explicam a importância do treinamento de cadeia fria na logística internacional, como o ministrado pela AGL Cargo
Líderes do mercado farmacêutico explicam a importância do treinamento de cadeia fria na logística internacional, como o ministrado pela AGL Cargo
Imagem: Canva | 2A+

Líderes do mercado farmacêutico explicam a importância do treinamento de cadeia fria na logística internacional, como o ministrado pela AGL Cargo

Se havia alguma dúvida de que a logística farmacêutica é um tema importante de ser estudado, a pandemia de COVID-19 sanou qualquer questionamento da maneira mais dura. Todos os atuantes da cadeia de suprimentos precisaram se desdobrar para entregar medicamentos, insumos utilizáveis, como máscaras, luvas e uniformes, respiradores e vacinas, tudo na maior velocidade possível.

Um dos motivos para que fosse possível aplicar velocidade ao tema, é pelo fato do mercado de saúde ser bastante regulado, com exigências de sistemas de qualidade robustos, técnicos e administrativos, que envolvem treinamentos constantes, de maneira periódica, evidenciados de por meio de documentos auditados e controlados.

A AGL Cargo, agente de cargas e despachante aduaneiro que é especialista no mercado de saúde, com destaque para o setor farmacêutico, tem ministrado treinamento nas indústrias, importadores e distribuidores de medicamentos pelo Brasil desde 2021, sendo que os temas preferidos das empresas solicitantes são a logística farmacêutica internacional e cadeia fria na logística internacional.

Jackson Campos, Diretor de Mercado Farmacêutico e Relações Institucionais da empresa, conversou com lideranças atuantes da indústria farmacêutica para entender melhor qual é a importância de uma conscientização coletiva sobre os riscos e responsabilidades em prestar serviço para o setor.

Para Ricardo Miranda, presidente do ISPE (Instituto de Ensino e Pesquisa), “Quando se tem um processo complexo e a logística de cadeia fria especialmente Internacional e extremamente complexo, um bom treinamento com uma boa definição de papéis e responsabilidades, faz toda diferença entre o sucesso, o desvio e a não conformidade”.

Entre os laboratórios farmacêuticos que receberam o treinamento está o Aché, quinto maior do mercado brasileiro em unidades vendidas e faturamento em 2022 até maio, segundo a IQVIA. De acordo com o Bruno Bozza, que atua no setor de gestão de qualidade de logística da empresa: “A importância experienciada pelo excelente treinamento ministrado a nós foi mudança e ampliação de mindset, sendo o segredo para alcançarmos metas e aumentarmos o desempenho da companhia como um todo, compactuando com o ‘jeito de ser e fazer Aché’”.

Bruno ainda avança, explicando que a profundidade dos ensinamentos técnicos, de forma isenta, fez a diferença: “As diferentes aplicabilidades sobre os diferentes sistemas ativos e passivos de transporte, modais e operações de cadeia logística farmacêutica foram explicitadas de forma dinâmica e didática, sendo um dos pontos diferenciais, visto a aderência do treinamento por várias áreas da companhia”, explica.

Para finalizar, Bruno agradece a disponibilidade do time de especialistas da AGL Cargo para ministrar o treinamento, que é sem custo: “Agradecemos pela disponibilidade do treinamento ministrado pela AGL Cargo, reforçando nosso compromisso de garantir a qualidade, eficácia e segurança de nossos medicamentos aos nossos consumidores.”

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) está se alinhando a organismos internacionais parecidos de regulação e tende a cobrar cada vez melhores “boas práticas” de qualidade dos produtores, importadores e distribuidores de medicamentos, por isso, para se manter competitivo, as empresas precisam entender que a legislação é o mínimo e se precisa entregar o melhor ao paciente sempre, como explica Rosana Mastellaro, Diretora de Assuntos Regulatórios e Inovação do Sindusfarma, maior sindicato patronal do setor: “Importante destacar que a gestão adequada do processo de importação garante o abastecimento e acesso ao paciente. O transporte e armazenagem corretor são parte importante do processo para assegurar a manutenção das condições de qualidade, segurança e eficácia com que foram fabricados. Em especial no transporte de produtos de cadeia fria este cuidado é ainda mais importante porque nem toda alteração por exposição a condições adversas pode ser percebida ou acontece a curto prazo”, explica Rosana.

Para Ricardo Miranda, “Os dados da estatística comprovam, que um treinamento efetivo que realmente capacite as pessoas em seus papéis, é a chave para conseguir ter uma boa logística e não ter problemas como: exclusão de temperatura, como documentação falha, como retrabalhos e como multas.”

Além disso, Felipe Gomes Sales, que atua como especialista em regulação e vigilância sanitária na Anvisa, explica qual a importância de uma logística internacional farmacêutica qualificada para a conservação da integridade de um medicamento e como o treinamento do envolvidos pode ser chave de transformação de qualidade. “A logística internacional de medicamentos é um grande desafio aos fabricantes, importadores e demais empresas envolvidas na distribuição e transporte de medicamento, insumos farmacêuticos e produtos a granel.”

“A variação térmica na qual o medicamento pode ser exposto em rotas aéreas e marítimas possui alta amplitude, ou seja, as faixas de temperatura podem oscilar para cima e para baixo de forma abrupta. Outrossim, os locais de espera e armazenagem dos medicamentos, prévio ao embarque, apresentam-se como um gargalo nessa atividade, especialmente em casos de atrasos e falhas de transporte”, completa Felipe, que ainda finaliza: “ Portanto, um controle robusto das condições de transporte internacional, por meio de mecanismos e ações de mitigação de risco, com base em dados e conhecimento científico, dos produtos e dos desafios do transporte, somado ainda ao monitoramento das variações de temperatura e de demais parâmetros críticos, é de suma importância para a manutenção das condições de qualidade dos medicamentos ao longo da cadeia farmacêutica.”

Isso exposto, está de encontro com o pensamento da Rosana de como a falta de treinamento pode influenciar negativamente a logística farmacêutica de uma nação: “Em um país globalizado precisamos estar preparados para atender os requisitos de cada país com eficiência e celeridade. Para isto é necessário conhecimento profundo dos requisitos e contatar profissionais experientes. Além de prejuízos financeiros, o atraso na liberação de produtos em especial medicamentos, pode expor a riscos que não foram previstos e avaliados pelo fabricante.”, finaliza Rosana.

Por este motivo, Felipe ainda explica que os treinamentos em logística internacional farmacêutica são importantes para a indústria e que ela não deve se preocupar apenas da fronteira para frente “O coração de todo processo logístico é representado pelas pessoas envolvidas nos elos da cadeia de distribuição. Cada indivíduo possui atribuições e responsabilidades, que podem impactar na qualidade dos medicamentos distribuídos. Ademais, uma eventual falha nos controles do transporte de cargas farmacêuticas pode ser crítica e preocupante, ao ponto de inviabilizar o uso do produto pelo paciente, e gerar ainda perdas financeiras importantes.”

E Felipe complementa explicando que: “Dessa forma, um adequado programa de treinamento continuado, do estabelecimento de parcerias da indústrias com os demais elos da cadeia internacional, especialmente em segmentos mais críticos como: aeroportos, portos e fronteiras, além da definição de acordos de qualidade claros, bem acompanhados e auditados, certamente levará a um processo de melhoria crescente no sentimento de responsabilidade e pertencimento de cada indivíduo envolvido, de forma direta ou indireta, na manutenção das especificações de qualidade dos medicamentos transportados, gerando benefícios a todos os interessados, em especial às pessoas que farão uso desses medicamentos.”

Todos os treinamentos ministrados pela AGL Cargo na indústria são gratuitos, tendo Jackson Campos como palestrante, que é especialista em logística e comércio exterior, tendo pós-graduação em gestão industrial farmacêutica, com atuação direta na área de cadeia fria e consultoria para empresas públicas e provadas na logística de enfrentamento da Covid-19.

Não há dúvidas de que o treinamento é o segredo para a construção de profissionais e preparação para que cada indivíduo possa exercer melhor suas funções e para que a empresa consiga ter grande retornos em seus procedimentos aplicados.

Sobre admin

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

× Fale com os gestores