quarta-feira , 12 agosto 2020
Capa » 2020 » julho » 04

Arquivo Diário: 04/07/2020

Anvisa libera testes de vacina chinesa contra a Covid-19

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou nesta sexta-feira, 3, a realização de testes da vacina contra o novo coronavírus desenvolvida pela empresa chinesa Sinovac. O pedido de liberação, feito pelo Instituto Butantan, foi anunciado pelo governador de São Paulo, João Doria, no dia 11 de junho. Em nota, a Anvisa diz que os testes devem ser desenvolvidos em diferentes locais do Brasil.

A vacina CoronaVac, produzida a partir de cepas inativadas do novo coronavírus, está na terceira fase de testes, quando a vacina já pode ser administrada a um número maior de pessoas. O estudo clínico envolverá 9 mil voluntários distribuídos nos estados de São Paulo, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Paraná, além do Distrito Federal. Parte delas receberá a vacina e outro grupo deve receber um placebo, sem efeito. O objetivo é verificar se há o estímulo à produção de anticorpos para proteção contra o vírus.

A Anvisa afirma que os estudos da primeira e segunda fases, realizados em humanos saudáveis e em animais, mostraram segurança e capacidade de provocar resposta imune “favoráveis”.

Na segunda-feira, 29, o Instituto Butantan disse que, após o aval da Anvisa, o programa de testagem ainda terá de passar por um conselho ético que vai validar a metodologia da testagem em humanos. Segundo a assessoria do instituto, a validação poderá ser feita pelo Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep), ligada ao Ministério da Saúde, ou pela Comissão de Ética para Análise de Projetos de Pesquisa (CAPPesq), que é vinculada à Secretaria Estadual da Saúde.

O custo da testagem é estimado em R$ 85 milhões e prevê a transferência de tecnologia para que a vacina chinesa possa ser produzida no Brasil. Esta é a segunda vacina a receber autorização para testes no País. Em junho, a Anvisa liberou a realização de ensaios clínicos de uma vacina produzida na Universidade de Oxford, na Inglaterra.

O Estado de S.Paulo – 04 de julho de 2020 | Editado

Covid-19: Farmacêutica espanhola PharmaMar declara ter antiviral 80 vezes mais eficaz que remdesivir

A PharmaMar anunciou que o Aplidin, um medicamento antiviral desenvolvido em parceria com a sul coreana ‘Boryung Pharmaceutical’, apresentou resultados muito mais eficazes no tratamento da Covid-19, do que o Remdesivir, que era até agora o mais promissor nesta matéria.

Reportando sobre sua eficácia contra o coronavírus, a companhia localizada em Madri espera que este medicamento possa “reduzir a progressão da doença para a Síndrome do Desconforto Respiratório Agudo (SDRA) em pacientes hospitalizados com pneumonia por covid-19”. e promova “uma rápida melhoria nos sintomas”.

Em sua declaração, a Boryung Pharmaceutical já anunciou que está preparando ensaios clínicos com plitidepsina na Coréia, para poder realizá-los no terceiro trimestre de 2020.

Embora  seu grau de eficácia em pacientes reais ainda não seja conclusivo.Os testes in vitro realizados até o momento comprovam a eficácia da plitidepsina em laboratório

A empresa  garantiu através de  Sam S. Lee, CEO da Boryung Pharmaceutical, que  “acelerará o desenvolvimento de um tratamento seguro e eficiente para a covid-19”, uma vez que “voltar à vida normal é a coisa mais importante para nós neste momento”.

Fonte: undefined – iG @ https://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2020-07-03/farmaceutica-declara-possuir-antiviral-80-vezes-mais-eficaz-que-remdesivir.html (editado)

Centrais de tratamento de água Gehaka registram crescimento

Enquanto o PIB registra índice de crescimento inferior a 2%, os sistemas Gehaka triplicaram em número de centrais instaladas nos dois últimos anos. Leia Mais »

Habilidades no cenário de pós-pandemia: entenda o que será exigido

Por Georgia Roncon. Leia Mais »

ACG Films & Foils fortalece presença no Brasil e América Latina

Especialista em soluções para a indústria farmacêutica e nutracêutica, companhia passa a fabricar novos produtos em PVDC, atendendo à atual demanda dos mercados da América Latina. Leia Mais »

Fale com os gestores