quinta-feira , 26 maio 2022
Capa » Notícias » Filtros industriais ajudarão empresas a se adaptarem à lei da qualidade do ar

Filtros industriais ajudarão empresas a se adaptarem à lei da qualidade do ar

Filtros de manga reduzem em 1.500 toneladas anuais, por caldeira, a emissão de material particulado na atmosfera

Além das exigências de ASG (Ambiente, Social e Governança Corporativa), cada vez mais determinantes para atração de investimentos, conquista de clientes e empatia com os consumidores, as empresas brasileiras precisam preparar-se para atender à Política Nacional de Qualidade do Ar. Trata-se do Projeto de Lei 10.521/2018, em tramitação na Câmara dos Deputados, onde já foi aprovado pela Comissão de Desenvolvimento Urbano. Foi votado o substitutivo do relator, deputado José Ricardo (PT-AM), ao texto original de Paulo Teixeira (PT-SP).

Quando aprovada pelo Congresso Nacional e sancionada pelo presidente da República, a nova lei exigirá um processo de adaptação por parte das empresas de todo o País, explica Alexandra Rivolta Bernauer, diretora da Bernauer, fabricante de filtros e ventiladores industriais, há 91 anos no mercado. “Isso será necessário, pois será estabelecida uma redução progressiva de emissões de poluentes e o uso de tecnologias em sistemas de controle de poluição de ar”.

Alexandra explica que os filtros de mangas utilizados pela Bernauer retiram a maior parte do pó e material particulado emitido por qualquer tipo de indústria. “No caso das caldeiras, a alternativa mais antiga a um filtro de mangas é um ciclone, que, além de gerar um consumo de energia maior, tem baixa eficiência”. Uma caldeira de porte médio, utilizando um ciclone, gerará emissão de quatro mil quilos diários de material particulado da queima. São quatro toneladas de material sendo jogado na atmosfera, que se espalha por dezenas de quilômetros.

Os filtros de mangas chegam a ser 100 vezes mais eficientes do que os ciclones. Com sua utilização, a emissão não passa de 40 quilos diários, considerando-se uma eficiência de filtragem de 20 mg por metro cúbico. Em um ano, a diferença é de quase 1.500 toneladas de material em uma única caldeira. “A substituição do ciclone, portanto, é medida importante para melhorar a qualidade do ar, alinhar as indústrias aos mais contemporâneos conceitos de sustentabilidade ambiental da produção e atender à legislação atual e ao projeto de lei em tramitação”, conclui Alexandra.

Sobre a Bernauer

A empresa, que tem escritório central na cidade de São Paulo e fábrica no município paulista de Capivari, foi a primeira fabricante nacional de ventiladores industriais. Está há 91 anos no mercado, dedicada à produção de equipamentos voltados à melhoria da qualidade do ar. Por meio de sua tecnologia e produtos, controla a movimentação do ar e filtra as partículas geradas no processo industrial, proporcionando um ambiente mais limpo e saudável. A Bernauer fornece soluções completas de ventilação industrial e limpeza do ar, desenvolvidas especificamente para a demanda de cada cliente. Seus produtos possibilitam que as indústrias produzam sem agredir o meio ambiente e propiciam aos funcionários ambientes seguros e livres de impurezas nocivas.

Sobre admin

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

×

Powered by WhatsApp Chat

× Fale com os gestores