sexta-feira , 14 agosto 2020
Capa » Medicina » Vive chorando sem motivo? Canal lacrimal obstruído pode ser a causa

Vive chorando sem motivo? Canal lacrimal obstruído pode ser a causa

Comum em recém-nascidos e terceira idade, bloqueio também pode acometer jovens e adultos.

Se você é do tipo que vive com os olhos cheios de lágrimas, mesmo sem motivo, a causa pode ser uma doença chamada Dacriocistite, mas conhecida como Canal Lacrimal Entupido. O bloqueio, que é comum em recém-nascido e que apresenta melhora até o primeiro ano de idade sem nenhum tratamento, pode acometer jovens e adultos após algum trauma, infecção por vírus ou bactérias, tumor ou na maioria das vezes, por causas desconhecidas.

De acordo com o especialista em cirurgia plástica ocular pela UCLA em Los Angeles, doutor André Borba, a obstrução do canal lacrimal é quase sempre tratável, levando em consideração a causa e a idade do paciente. “Muitas vezes, o uso de colírios ou pomadas pode amenizar o problema, mas em geral a cirurgia para a correção do canal é recomendada”.

Segundo Borba, diversas causas podem levar ao quadro de entupimento como tumores, traumas, infecções crônicas, problemas congênitos e idade. “O diagnóstico é estabelecido por meio da anamnese, seguida de avaliação clínica baseada no exame das vias lacrimais. Os pacientes acometidos pela obstrução da via lacrimal apresentam lacrimejamento, dores agudas e tumefação, principalmente na região do canto do olho, próximo ao nariz. A dacriocistorrinostomia é a cirurgia indicada assim que for tratado o quadro clínico agudo”, explica.

Ele ainda alerta a necessidade de ficar atento aos primeiros sinais como olhos irritados, vermelhidão, inchaço, lacrimejamento constante e secreção. “Muitas pessoas confundem, inicialmente, os sintomas com Conjuntivite, já que olhos vermelhos, muito inchados, com ardência e secreção, são sinais clássicos de uma conjuntivite bacteriana muito comum durante o verão, e também muito parecidos com os da Dacriocistite. Por isso a importância de procurar um especialista logo quando surgirem os primeiros sintomas”, alerta o cirurgião plástico ocular.

Sobre André Borba:

CRM SP: 82835

Doutor em Ciências Médicas pela Universidade de São Paulo (USP), Fellowship em Oculoplástica no Jules Stein Eye Institute (UCLA) de Los Angeles, pós-graduado em Medicina Estética pela Assosicção Internacional de Medicina Estética (ASIME), membro titular da Comissão Científica do Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO), membro titular das Sociedades Brasileira e Pan-Americana de Cirurgia Plástica Ocular, membro internacional da European Society of Ophthalmic Plastic and Reconstructive Surgery (ASOPRS).

Sobre admin

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Fale com os gestores