domingo , 3 julho 2022
Capa » Notícias » OMS convida Butantan para compartilhar experiência na estratégia de produção e distribuição de soro antiofídico

OMS convida Butantan para compartilhar experiência na estratégia de produção e distribuição de soro antiofídico

Dra. Fan Hui Wen, gerente do Núcleo de Produção de Soros, será a representante do instituto no encontro

O Instituto Butantan participará, a convite da Organização Mundial da Saúde (OMS), da elaboração de um plano de ação de prevenção e controle do ofidismo, que é acidente com cobras. O encontro acontece nos próximos dias 29, 30 e 31 de março, organizado pelo escritório regional da OMS no sudeste da Ásia, por meio de reuniões online.

Em 2018, a OMS estabeleceu os acidentes ofídicos como uma doença tropical negligenciada. O órgão possui uma categoria especial com objetivo de promover iniciativas para o controle e prevenção a nível mundial destas doenças. Inclusive, o combate delas faz parte da agenda global da Organização das Nações Unidas (ONU) de 2030.

A médica infectologista e gerente do Núcleo de Produção de Soros, Fan Hui Wen, representará o instituto na ocasião. “O convite ao Butantan é um reconhecimento à sua trajetória de 121 anos de produção, pesquisa e divulgação no campo do ofidismo. A OMS quer, justamente, que compartilhemos a nossa experiência de produção e disponibilidade de soros antiofídicos com os países do sudeste asiático, para que essa estratégia de redução do número de mortes e ocorrência dos acidentes possa ser implementada”.

Os soros antivenenos são utilizados em casos de acidentes por animais peçonhentos. A função é neutralizar a ação das toxinas e evitar que estas picadas causem lesões irreversíveis ou complicações que podem levar à morte. Além dos antivenenos, o Instituto Butantan produz soros contra toxinas bacterianas e o vírus rábico, essenciais para a redução da morbimortalidade da difteria, tétano, botulismo e raiva humana.

Durante a produção do soro, os cavalos recebem os antígenos e, dependendo do tipo de substância [listadas acima], são obtidos diferentes tipos de plasmas. Após esta etapa, o plasma é submetido a um processamento industrial para purificação e formulação. O resultado é produtos com alta qualidade, segurança e eficácia.

Dra. Fan ressalta que, para reduzir o número de mortes e de sequelas em decorrência de um acidente ofídico, é preciso ter a ferramenta básica: o soro. “Essa é a premissa para que um programa desses seja bem sucedido. O Butantan, além de contribuir para o abastecimento do Brasil, também colabora com outros países da América Latina. Trabalhamos para alcançar o objetivo de redução do impacto que esses acidentes causam, principalmente, nas populações carentes e rurais”.

Investimento em centro produtivo

Pensando em atender a este público e ampliar a produção de soros, o Instituto Butantan investe na construção do Centro Avançado de Produção de Soros. A obra é executada em duas etapas. A primeira é a estruturação do prédio, com suporte metálico, pavimentos de concreto e fachada. Na segunda ocorre a implementação do layout, acabamentos e instalação de equipamentos. Quando começar a operar, a fábrica aumentará sua capacidade produtiva dos 13 tipos de soros produzidos na instituição, além de iniciar a linha de soros liofilizados

Sobre admin

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

× Fale com os gestores