domingo , 3 julho 2022
Capa » Notícias » Médicos se reúnem em São Paulo para conscientizar sobre importância do diagnóstico precoce de Imunodeficiência Primária

Médicos se reúnem em São Paulo para conscientizar sobre importância do diagnóstico precoce de Imunodeficiência Primária

Destaque do evento será a triagem para identificação da doença, já que está disponível no País o primeiro exame capaz de diagnosticar a deficiência já após o nascimento do bebê, a partir da mesma coleta do teste do pezinho.

Médicos e pesquisadores de todo o mundo se reúnem entre 4 e 7 de outubro no hotel Maksoud Plaza, em São Paulo, para a 5ª edição do LASID Meeting 2017 – Latin American Society for Primary Immunodeficiencies. Os temas abordados são relacionados aos cuidados e avanços nas Imunodeficiências Primárias (IDPs) causadas pelas deficiências genéticas do sistema imunológico. As primeiras manifestações costumam ocorrer durante a infância precoce, com quadros infecciosos de repetição.

A triagem para identificação de IDPs ainda na maternidade será um dos destaques. Isso porque já está disponível no País o primeiro teste capaz de diagnosticar a doença partir da mesma coleta utilizada para o famoso teste do pezinho. O exame, implantado pelo imunologista brasileiro, Professor e médico Dr. Antônio Condino Neto, em parceria comuma universidade pública e uma entidade de triagem neonatal, possibilita o diagnóstico precoce de novos casos, imprescindível para ampliar as chances de a criança portadora de IDP levar uma vida normal ou próxima do normal.

Atualmente, existem 5 mil pessoas diagnosticadas no Brasil, mas estima-se que a subnotificação seja três vezes maior. Dados do Bragid – Brazilian Group for Primary Immunodeficiency apontam que 15 mil pessoas sofrem com a falta de diagnóstico de IDPs no Brasil. “O assunto é de baixo conhecimento da população em geral, embora seja de extrema importância que a classe médica e, principalmente os pais, tenham acesso à informação para salvar vidas de bebês e crianças em seus primeiros anos de vida”, diz Dr. Condino, presidente da LASID e organizador do fórum.

As IDPs agrupam mais de 350 doenças podendo ser hereditárias ou genéticas. A deficiência no sistema imunológico frequentemente é causada por erros genéticos, de células que formam o sistema. “Infelizmente, muitas vezes a IDP só é diagnosticada após muitos anos de seguidas infecções, o que pode provocar sequelas graves ou mesmo levar o paciente à morte”, diz a imunologista Dra. Beatriz Tavares Costa Carvalho.

O diagnóstico tardio é, geralmente, causado pela falta de informação dos próprios médicos, pois muitas vezes os sintomas são tratados como causa (infecções de repetição: pneumonia recorrente, otite, estomatite, entre outros). Os próprios pais do bebê podem solicitar ao médico, por prevenção, que seja feito o teste. O custo nas maternidades é de aproximadamente R$ 150,00.

Sem o teste feito após o nascimento do bebê, a identificação de uma IDP leva, em média, seis anos para ser fechada. “O entrave está no fato de que os portadores de IDPs são submetidos à uma verdadeira peregrinação entre os serviços de saúde, tempo que poderia ser reduzido com a realização do exame ainda na maternidade”, ressalta a Dra. Beatriz.

Adolescentes e adultos também podem ser acometidos por essa deficiência no sistema imunológico. O tratamento das IDPs varia de acordo com o tipo e a gravidade da doença. No entanto, todas as terapias garantem ao paciente a sequência de sua rotina, principalmente em casos de diagnóstico precoce. “Existem várias opções de tratamento e até de acesso pelo SUS. Mas o que mais sentimos é o desconhecimento sobre a doença e a dificuldade em descobrir a IDP, por isso o alerta para que o diagnóstico seja feito o quanto antes”, completa a médica.

O LASID Meeting tem mostrado, desde sua criação, um terreno fértil para o estudo e cooperação no campo das Imunodeficiências Primárias. A edição 2017 tem patrocínio de importantes players do setor de saúde, como Shire, CSL Behring, Kedrion Biopharma, Octapharma, Grifols, LFB e apoio da Jeffrey Modell Foundation, além da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de são Paulo, FAPEPS. Também conta com apoio da Sociedade Brasileira de Pediatria, Associação Brasileira de Alergia e Imunopatologia, European Society for Primary Immunodeficiencies e Clinical Immunology Society.

Mais informações no site: http://www.lasid2017.com/

Sobre o LASID – Latin American Society for Primary Immunnodeficiencies

A LASID iniciou em 1993 como um grupo latinoamericano de Imunodeficiências Primárias (LAGID) e evoluiu para uma sociedade em 2009. É composta por profissionais dedicados ao campo das Imunodeficiências Primárias (IDPs) com o objetivo de desenvolver e aperfeiçoar a educação, pesquisa científica e cuidados de saúde dentro desta especialidade médica. A estrutura é aberta a todos os profissionais interessados em participar das atividades desta sociedade, comprometidos com o campo das IDPs.

O programa LASID Registry começou em 2009 e atualmente inclui mais de 7200 pacientes de 114 centros de documentos em 16 países das Américas. O quadro atual é resultado de programas educacionais, campanhas de conscientização, congressos científicos e cooperação com sociedades irmãs e associações de pacientes portadores de IDPs nestas regiões.

A LASID possui um Programa de Bolsas para jovens profissionais em treinamento; um programa bianual de Escola de Verão dirigido a 40 bolsistas, 12 docentes e 80 observadores adicionais; e o LASID Meeting, congresso internacional bianual em constante crescimento.

Sobre admin

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

× Fale com os gestores