segunda-feira , 17 junho 2019
Capa » Notícias » Fórum ‘Enxaqueca é coisa séria’ promove discussão sobre a doença e o acesso às novas terapias

Fórum ‘Enxaqueca é coisa séria’ promove discussão sobre a doença e o acesso às novas terapias

O Fórum “Enxaqueca é coisa séria2”, promovido pela Novartis, movimentou os gestores de acesso dos mercados público e privado, em São Paulo. O evento,  realizado em 1° de junho de 2019, no Hotel Pullmann Ibirapuera, contemplou aulas médicas sobre a doença neurológica, discussões sobre o impacto econômico e pessoal da enfermidade e sobre tratamento.

O fórum contou com a participação da jornalista Mônica Waldvogel, que mediou dois painéis e compartilhou um pouco da sua relação com a doença. Mônica relatou que teve sua primeira dor de cabeça aos 6 anos e que mais tarde foi diagnosticada com a enxaqueca, doença que a acompanhou por diferentes momentos de sua vida pessoal e profissional. “A enxaqueca atinge 15 a cada 100 brasileiros, o que equivale a 30 milhões de pessoas no país1,2 – uma doença altamente incapacitante que merece atenção de toda a sociedade”, destaca a jornalista.

Para integrar a discussão sobre acesso a novos tratamentos, o painel executivo contou com a presença de Ricardo Maykot, diretor de acesso da Novartis, Georgia Antony, consultora de Negócios de Saúde da CNI (Confederação Nacional da Indústria), Adriano Lima, diretor de Recursos Humanos do Banco Neon e Dra. Goldete Priszkulnik, Consultora de Saúde Suplementar.

A conversa trouxe o olhar de diferentes frentes para a enxaqueca, abordando o impacto do absenteísmo e presenteísmo no trabalho, os desafios de diagnóstico clínico e o caminho de incorporações de novas terapias nos mercados privado e público.

“Frente à prevalência da enxaqueca, reunir todos os atores do cenário da saúde é um passo fundamental para que a indústria, sociedades médicas e pagadores

atuem de forma colaborativa para beneficiar o paciente que sofre com esta doença crônica e incapacitante”, ressalta Ricardo Maykot, Diretor de Acesso da Novartis.

Enxaqueca em números

Além da alta incidência, a enfermidade tem impactos profundos. Segundo estudo My Migraine Voice3, promovido pela Novartis em parceria com a Aliança Europeia para Enxaqueca e Cefaleia (European Migraine and Headache Alliance), com pacientes que sofrem de enxaqueca, 82% dos entrevistados brasileiros sofrem com impacto da doença na vida social3. A análise contemplou 11 mil pessoas que sofrem com a enxaqueca em 31 países, incluindo o Brasil, com participação de 851 pacientes3.

No que tange às atividades laborais, 45% dos pacientes brasileiros afirmaram ter redução de desempenho no trabalho (presenteísmo3) 17% alegaram faltar ao trabalho devido à doença (absenteísmo)3. Vale ponderar que, segundo a OMS, a enxaqueca é a sexta doença mais incapacitante no mundo3.

Referências

1)    QUEIROZ, L. P.  et al. A nationwide population-based study of migraine in Brazil. Cephalalgia, v. 29, n. 6, p. 642-9, Jun 2009.

2)    ESTATÍSTICA, I.-I. B. D. G. E. Projeção da população do Brasil e das Unidades da Federação.  2009.  Disponível em: <https://www.ibge.gov.br/apps/populacao/projecao/>. Acesso em: 09 de maio.

3)    Lopes et al. Pôster PND133. ISPOR, Barcelona, 10-14 nov. 2018. Susuki et al Pôster PND 132. ISPOR, Barcelona, 10-14 nov. 2018.

 

Sobre admin

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*