sábado , 25 maio 2024
Capa » Notícias » EMS promove campanha para tratar osteoporose em idosos de Cotia

EMS promove campanha para tratar osteoporose em idosos de Cotia

Batizada de “DMO Day”, iniciativa da farmacêutica em parceria com a Associação Assistência Social Santo Antônio prevê a realização de exames gratuitos de densitometria óssea em 472 idosos 

Abril de 2024 – A EMS – maior laboratório farmacêutico no Brasil – realizou na sexta-feira (19), exames de densitometria óssea gratuitos em 472 idosos atendidos pela Associação Assistência Social Santo Antônio (ASSA), com 68 anos de fundação e sede em Cotia, município vizinho a São Paulo (SP). A campanha, idealizada em parceria com a entidade, oferecerá ainda suporte e custeará – durante um ano – o tratamento para aqueles diagnosticados com osteoporose, com suplementos de cálcio e medicamentos que ajudam na reconstituição óssea, elementos fundamentais para grande parte do tratamento da patologia. Atualmente, estima-se que 200 mil brasileiros morrem todos os anos devido a fraturas osteoporóticas – um número que só tende a aumentar em virtude do envelhecimento populacional, segundo a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia.

De acordo com Joaquim Alves, diretor da Unidade de Prescrição Médica da EMS, o objetivo da iniciativa é estimular os exames preventivos e conscientizar a população e a classe médica sobre esta doença silenciosa e subdiagnosticada. “A EMS é uma empresa engajada no estudo e combate deste tipo de doença. Com essa ação, não só reiteramos como ampliamos o nosso compromisso com a promoção da saúde e qualidade de vida da população, especialmente a idosa neste caso. Essa colaboração exemplifica uma forma importante de cuidado com as pessoas e o poder transformador que pode surgir quando empresas e entidades unem forças em prol da responsabilidade social”, acrescenta.

O “DMO Day”, nome dado à ação, foi realizado na sede da associação, pela médica local parceira, Luísa Braga de Castro, que optou pelo exame de densitometria óssea de calcâneo (DMO) por ser um dos métodos de triagem para diagnosticar e monitorar a progressão da doença. As DMOs necessitam de solicitação médica e o exame pode ser realizado na rede particular, convênios e SUS, com disponibilidade variável a depender da região do paciente.

Plataforma osteoporose

A campanha estratégica integra o plano da Plataforma Osteoporose da unidade de Prescrição da EMS, que tem o propósito de diminuir o risco de fratura e promover conhecimento de causa uma vez que, atualmente, não existe uma especialidade “mãe” da osteoporose. “Em nossa pesquisa e atuação diária com essa questão, identificamos que cada área médica, como ginecologia, geriatria, reumatologia e ortopedia, por exemplo, acaba encontrando o paciente em um estágio diferente da doença. Estamos determinados em estimular entre os médicos a disciplina de solicitar esse exame (DMO) e pensar na osteoporose de forma preventiva, não após a ocorrência da primeira fratura. Além disso, nossa expectativa é expandir a ação DMO Day para diferentes regiões, abraçando parcerias com outras instituições”, explica Alves.

Para a conscientização da classe médica e pacientes, a empresa criou ainda o site Osteoporose Digital (Link), portal de educação continuada – em parceria com a Associação Brasileira de Avaliação Óssea e Osteometabolismo (Abrasso) – que oferece cursos e informações relevantes, além de atualizações sobre o tema.

Doença silenciosa, subdiagnosticada e subtratada

A osteoporose caracteriza-se por ser um distúrbio multifatorial e progressivo do esqueleto que acarreta a perda progressiva da massa óssea, podendo resultar em ossos finos, ocos, frágeis e, consequentemente, suscetíveisa fraturas. De acordo com a Fundação Internacional de Osteoporose (IOF, sigla em inglês), a cada 3 segundos acontece uma fratura osteoporótica no mundo. A osteoporose causa mais de 8,9 milhões de fraturas anualmente no planeta. Após a primeira, risco da segunda fratura é duas vezes maior; já o risco da terceira é quatro vezes superior e risco da quarta, oito vezes maior. No Brasil, a doença afeta 10 milhões de pessoas: aproximadamente 6,3% delas são homens acima de 50 anos e21,2% são mulheresna mesma faixa etária.

Uma pesquisa realizada pela mesma fundação, em 11 países, apontou ainda que mulheres na menopausa não acreditam que possam ser acometidas pela osteoporose. Além disso, constatou também que a falta de diálogo delas com o próprio médico sobre a doença e acesso restrito ao diagnóstico e tratamento antes da primeira fratura resultam em subdiagnóstico e subtratamento. “No caso das mulheres, elas são mais acometidas, pois o estrogênio, importante hormônio feminino que ajuda na conservação dos ossos, vai diminuindo conforme o avanço da idade. Na menopausa, a quantidade menor de estrogênio facilita a perda de massa óssea e acaba por enfraquecer os ossos”, explica Pedro Tenório, gerente médico da EMS com formação em ortopedia.

O especialista alerta, por fim, que a osteoporose é uma doença crônica e não tem cura. “Não é possível reverter a perda óssea completamente, mas é possível, com tratamento, diminuir o risco de fraturas. Por isso, além de exames preventivos, os cuidados devem ser contínuos e iniciados tão logo seja feito o diagnóstico”, afirma Tenório.

Sobre a ASSAA ASSA é uma associação civil de direito privado e filantrópica, de fins não econômicos. É um Centro de Convivência e Fortalecimento de vínculos para idosos, fornecendo, durante a semana, café da manhã, almoço e trinta oficinas diferentes, como pintura em tela, artesanato, hidroginástica, pilates, zumba, coral e dança de salão, por exemplo. O serviço é 100% gratuito.

Sobre a EMS

A EMS, maior laboratório farmacêutico no Brasil, líder de mercado há 18 anos consecutivos, pertence ao Grupo NC. Com 60 anos de história e mais de 6,7 mil colaboradores, atua nos segmentos de prescrição médica, genéricos, medicamentos de marca, OTC e hospitalar, fabricando produtos para praticamente todas as áreas da Medicina. Tem presença no mercado norte-americano com a sua controlada Vero Biotech, localizada em Atlanta, Geórgia (EUA), por meio da qual a EMS obteve em 2019 a aprovação de seu primeiro produto revolucionário, fruto de inovação radical, submetido à FDA (EUA), posicionando o laboratório como uma empresa inovadora no mercado global. A EMS também investe consistentemente em inovação incremental, em genéricos de alta complexidade e é uma das acionistas da Bionovis, de medicamentos biotecnológicos – considerados o futuro da indústria farmacêutica. A empresa possui unidades produtivas em Jaguariúna (SP); em Brasília (DF); em Hortolândia (SP), onde funcionam o complexo industrial, incluindo o Centro de Pesquisa & Desenvolvimento, um dos mais modernos da América Latina, e a unidade totalmente robotizada de embalagem de medicamentos sólidos; e conta também com a Novamed, localizada em Manaus (AM), uma das maiores e mais modernas fábricas de medicamentos sólidos do mundo. Na Sérvia, possui a farmacêutica Galenika, adquirida em 2017 como parte do processo de internacionalização da companhia. A EMS exporta para 55 países e tem, na Itália, o laboratório de pesquisas MonteResearch. A empresa mantém um histórico consistente de iniciativas sociais, culturais, ambientais e esportivas dentro e fora do país como uma forma concreta de também promover saúde e qualidade de vida.

Sobre admin

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

× Fale com os gestores