terça-feira , 20 outubro 2020
Capa » Notícias » Contaminação mortal por dietilenoglicol levou à criação do FDA

Contaminação mortal por dietilenoglicol levou à criação do FDA

A existência do dietilenoglicol e os riscos ligados à sua ingestão pelo organismo vieram a tona com a identificação da síndrome nefroneural que atingiu 17 pacientes em Minas.

A substância foi encontrada nas análises feitas pela Polícia Civil em garrafas da cerveja Belorizontina, da Backer, e também em um dos tanques de produção da empresa, no bairro Olhos D´Água, região Oeste de Belo Horizonte.

No ano de 1937, uma empresa farmacêutica do Tennessee resolveu desenvolver uma versão líquida do antibiótico Sulfanilamida (também conhecido como Sulfa). Para isso, se valeu do dietilenoglicol para dissolver a droga. Como à época não eram exigidos testes de validação, o material chegou ao mercado sem controle, provocando as mortes em massa.

O que levou o físico e homeopata Royal Samuel Copeland, senador democrata por Nova York, a apresentar, no Congresso, uma lei disciplinando o uso de substâncias pelas indústria alimentícia e farmacêutica, estabelecendo protocolos de testes e definindo competências para julgar e punir casos semelhantes. Em 1938, era aprovado o Ato Federal para Alimentos, Drogas e Cosméticos (FDCA, na sigla em inglês). A legislação deu origem à FDA, que até hoje se encarrega de avaliar e aprovar a entrada no mercado de remédios e substâncias usadas na produção de alimentos (corantes, conservantes e aditivos químicos).

Fonte: Hoje em Dia

Sobre admin

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Fale com os gestores