quarta-feira , 29 junho 2022
Capa » Notícias » Blincyto é aprovado para uso em pacientes pediátricos com Leucemia Linfoblástica Aguda

Blincyto é aprovado para uso em pacientes pediátricos com Leucemia Linfoblástica Aguda

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) acaba de ampliar a indicação de BlincytoTM (blinatumomabe), da biofarmacêutica Amgen, para o tratamento de crianças e adolescentes com Leucemia Linfoblástica Aguda (LLA), refratária ou recidivada (Número de registro: 25351.769941/2014-66 04/2022). Até o momento este grupo de pacientes tinha opções limitadas de tratamento na ocasião de recidiva da doença ou refratariedade à quimioterapia.

A LLA é um tipo de câncer do sangue agressivo, caracterizado pela produção maligna de linfócitos imaturos (linfoblastos) na medula óssea. É mais frequente em crianças e adolescentes, que representam 60% dos casos1. A LLA é um dos cânceres mais frequentes e aquele que mais mata nesta faixa etária. Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), a estimativa é de que aproximadamente 3000 novos casos de leucemia pediátrica no Brasil sejam diagnosticados por ano2.

Com os tratamentos já disponíveis, a maior parte das crianças e adolescentes consegue alcançar a remissão completa (RC) da doença na fase de indução, mas em aproximadamente 20% destes pacientes a doença acaba voltando após algum tempo3. Neste cenário, a aprovação de BlincytoTM traz uma nova opção de tratamento segura e eficaz, melhorando o prognóstico do paciente.

Dados de dois estudos clínicos demonstraram que pacientes pediátricos tratados com BlincytoTM como agente único atingiram não só resposta completa, mas também Doença Residual Mínima negativa. Isso significa que a quantidade de doença na medula óssea é muito baixa, praticamente não são encontradas células leucêmicas na medula óssea através dos exames laboratoriais mais sensíveis. Essas respostas possibilitam remissão da doença ou o tratamento adicional com a realização do transplante de medula óssea, com um melhor resultado em grande parte dos pacientes, contribuindo para o aumento da sobrevida nesses pacientes.

BlincytoTM foi aprovado no Brasil em abril de 2017 para tratar pacientes adultos com LLA de linhagem B, recidivada ou refratária, com cromossomo Philadelphia negativo. Em janeiro de 2018, o medicamento foi aprovado também para tratar pacientes com o cromossomo Philadelphia positivo, fato que caracteriza uma doença mais agressiva e de pior prognóstico.

Sobre BlincytoTM

O BlincytoTM (blinatumomabe), pertence a uma nova classe de medicamentos, os anticorpos monoclonais biespecíficos, com um mecanismo de ação inovador obtido através da tecnologia BiTE®, que possibilita a ligação do anticorpo monoclonal a dois tipos diferentes de células ao mesmo tempo: de um lado se liga a uma célula do sistema imune do paciente responsável por matar as células malignas (linfócitos T) e do outro lado, se liga à célula tumoral. Essa ligação ativa e estimula a produção de mais linfócitos T e com isso, o medicamento faz com que o próprio sistema imune do paciente ataque e elimine as células tumorais.

Sobre a Amgen

A Amgen tem o compromisso de desvendar o potencial da biologia para pacientes que sofrem de doenças graves por meio da descoberta, desenvolvimento, fabricação e concretização de terapias humanas inovadoras. Essa abordagem começa com o uso de ferramentas como genética humana avançada para desvendar as complexidades da doença e entender as bases da biologia humana.

A Amgen está focada em áreas em que muitas necessidades médicas não são atendidas e faz uso de sua experiência para buscar soluções que melhorem os desfechos em saúde e que melhore muito a vida das pessoas. Pioneira em biotecnologia desde 1980, a Amgen cresceu e se tornou uma das empresas líderes em biotecnologia independente no mundo, atingiu milhões de pacientes pelo globo e está desenvolvendo um pipeline de medicamentos com potencial revolucionário.

Para mais informações, visite http://www.amgen.com.br/

Sobre admin

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

× Fale com os gestores