terça-feira , 28 maio 2024
Capa » Notícias » Anvisa aprova empagliflozina para tratamento da Doença Renal Crônica

Anvisa aprova empagliflozina para tratamento da Doença Renal Crônica

A molécula demonstrou uma redução de 28% no risco de progressão da doença renal ou morte cardiovascular em pacientes com doença renal crônica 

São Paulo, Brasil – Na segunda-feira, 29 de abril, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou a empagliflozina, das farmacêuticas Boehringer Ingelheim e Eli Lilly do Brasil, para o tratamento de adultos com doença renal crônica (DRC)1. A DRC afeta entre 3 e 6 milhões de pacientes2 no país, sendo um problema de saúde significativo que duplica o risco de hospitalização e representa uma das principais causas de mortalidade3-4

A aprovação baseia-se nos resultados do estudo EMPA-KIDNEY5, o maior estudo dedicado aos inibidores de SGLT2 no tratamento da DRC até o momento, e que avaliou um amplo espectro de pacientes com a enfermidade. O estudo clínico demonstrou que a empagliflozina reduz em 28% o risco de progressão da doença renal ou morte cardiovascular em pacientes com DRC comparado a placebo5-6

A Dra. Thais Melo, diretora médica da Boehringer Ingelheim no Brasil, comentou: “Celebramos este marco significativo no campo da doença renal crônica. A prevenção e a detecção precoce da enfermidade são cruciais. Esta nova opção de tratamento tem o potencial de melhorar o manejo da condição cardiorrenal metabólica e da doença renal crônica.” 

Com suas indicações já estabelecidas para o tratamento do diabetes tipo 2 e insuficiência cardíaca, o medicamento oferece uma abordagem abrangente para tratar as condições cardio-renais-metabólicas que afetam milhões de brasileiros7

Sobre a aliança Boehringer Ingelheim e Eli Lilly
Comprometidos com a saúde e a qualidade de vida dos pacientes com diabetes e suas necessidades durante todas as fases do tratamento, as companhias Boehringer Ingelheim e Eli Lilly decidiram, em 2011, unir forças e estabeleceram uma parceria no segmento. Essa aliança alavanca os pontos fortes de duas das maiores empresas farmacêuticas do mundo. A Boehringer Ingelheim com seu compromisso com investimento em pesquisa e desenvolvimento de novos medicamentos de alto valor terapêutico para medicina, aliada ao pioneirismo da Eli Lilly – com a primeira insulina comercializada em 1923. Ao juntar forças, as companhias demonstram ainda mais compromisso com os pacientes com diabetes. Para mais informações, acesse Link ou Link 

Referências bibliográficas:

1-Diário Oficial da União. 25 de abril de 2024. Disponível em Link. Acesso em abril de 2024.
2- Marinho,AWGB, Penha,AP, Silva,MT, Galvão,TF, et al. Prevalência de doença renal crônica em adultos no Brasil: revisão sistemática da literatura. Cad. Saúde Colet., 2017, Rio de Janeiro, 25 (3): 379-388)
3-Bikbov B, et al. Global, regional, and national burden of chronic kidney disease, 1990–2017: a systematic analysis for the Global Burden of Disease Study 2017. Lancet. 2020;395(10225):709-733.
4-USRDS. 2021 Annual Report. Available at: Link. Accessed: July 2023.
5- Mavrakanas TA, Tsoukas MA, Brophy JM, Sharma A, Gariani K. SGLT-2 inhibitors improve cardiovascular and renal outcomes in patients with CKD: a systematic review and meta-analysis. Sci Rep. 2023 Sep 23;13(1):15922.
6- Herrington W, Staplin N, Wanner C, et al. Empagliflozin in Patients with Chronic Kidney Disease. N Engl J Med. 2023; 388:117-127.
7- Ministério da Saúde. Biblioteca Virtual em Saúde. Disponível em: Link. Acesso em março de 2024.
 

Sobre admin

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

× Fale com os gestores