quarta-feira , 23 setembro 2020
Capa » Cadeia fria » Transporte de vacinas: conheça os cuidados necessários

Transporte de vacinas: conheça os cuidados necessários

Uma perda de até 50% dos medicamentos é observada ao longo das várias etapas da cadeia logística, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS). Dessa forma, o controle preciso e contínuo de temperatura no transporte se mostra essencial para reverter este quadro que se tornou ainda mais crítico nos tempos de pandemia

São Paulo, setembro de 2020 – Com a pandemia causada pelo coronavírus, a população mundial ficou à espera de uma vacina para que vidas deixem de ser perdidas e a economia, viagens e a rotina social voltem à normalidade. Países como China, Estados Unidos, Inglaterra e Rússia estão na corrida para patentear a vacina capaz de prevenir a contaminação pela Covid-19. Quando a vacina estiver pronta, é fundamental que cuidados no transporte sejam tomados, afinal, um dos principais pontos críticos para a indústria farmacêutica está relacionado ao momento que lotes de vacinas deixam a fábrica e são encaminhadas a centros de distribuição de farmácias, laboratórios e armazéns regionais.

De modo geral, a vacina não pode passar por variações de temperatura, pois isto pode vir a comprometer sua eficácia. Fármacos deste tipo devem ser transportados a uma temperatura entre 2°C e 8°C, o que é um desafio em um país como o Brasil, com tantas variações no clima e proporções continentais com grandes distâncias a serem percorridas. A carga, portanto, necessita de um equipamento altamente confiável que faça a refrigeração durante todo o transporte. De preferência, que garanta o reajuste automático de acordo com a temperatura externa. Somente assim é possível assegurar a integridade da carga transportada e a qualidade da vacina que o cidadão brasileiro irá receber.

Guia de controle da ANVISA

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) possui um guia para a qualificação de transporte dos produtos biológicos, incluindo orientações para medicamentos biológicos e imunobiológicos, como as vacinas. Testes de estabilidade e estresse precisam ser feitos, o que significa uma avaliação do tempo em que o produto ficará em viagem e os cuidados que devem ser tomados durante o trajeto. A empresa transportadora necessita adotar medidas para que as temperaturas sejam mantidas mesmo em condições adversas. O documento determina comprovação da cadeia logística, incluindo a capacidade de monitoramento contínuo da temperatura e um sistema de logística qualificado.

Um dos mercados mais afetados pela falta de planejamento no transporte é o de medicamentos. A Organização Mundial de Saúde (OMS) aponta que 50% das vacinas chegam ao destino deterioradas, principalmente devido a falhas no controle de temperatura. De acordo com Claudio Biscola, Gerente de Vendas Thermo King – América do Sul, empresa líder em soluções para controle de temperatura para o transporte, os problemas seriam evitados se houvesse ajuste automático de temperatura nos baús e containers.

“O transporte e armazenamento de vacinas exige medições de parâmetros que forneçam 100% de certeza à indústria, ao operador logístico, aos centros de distribuição regionais e aos hospitais, laboratórios e postos de saúde. O monitoramento e registro de dados de alta performance durante toda a cadeia do frio é fundamental durante esse processo, seguindo todas as determinações das autoridades regulatórias a fim de garantir que os medicamentos sejam entregues aos pacientes com sua integridade garantida. À vista disso, o ajuste automático de temperatura em relação ao ar externo é essencial para o transporte de vacinas. Muitos equipamentos no mercado não possuem essa capacidade. Na Thermo King, todas as linhas de equipamentos de refrigeração possuem essa configuração de controle e ajuste preciso da temperatura para o transporte adequado de produtos fármacos”, explica.

Além dos cuidados com a temperatura, algumas medidas também são necessárias para o transporte de vacinas e medicamentos. São elas:

  • Garantir que o alto nível de qualidade, eficácia, segurança e rastreabilidade do produto seja mantido em toda a cadeia de distribuição;
  • Registros de dados de temperatura durante o transporte;
  • Gerenciamento de dados para auditoria (histórico de serviço mínimo de 5 anos);
  • Certificação de qualidade dos equipamentos de refrigeração;
  • Procedimentos de limpeza;
  • Treinamento de motoristas para operação de carga refrigerada.

Sobre a Thermo King®

Com atuação no Brasil desde 1974, a Thermo King® é pioneira no desenvolvimento de soluções no controle de temperatura para transportes, incluindo unidades de refrigeração para logística de perecíveis e equipamento de ar condicionado para ônibus. Conta com uma ampla rede autorizada com abrangência em todo o território nacional, para assegurar o melhor atendimento aos clientes desde a concretização dos negócios até sua continuidade no pós-venda. Sediada em Barueri, região metropolitana de São Paulo, a empresa faz parte do grupo Trane Technologies. Para mais informações, visite http://www.thermoking.com.br .

Sobre admin

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Fale com os gestores