terça-feira , 21 setembro 2021
Capa » Artigos técnicos » Como entregar qualidade do ar com otimização de custos na retomada

Como entregar qualidade do ar com otimização de custos na retomada

Por Leandro Solarenco*

Trazer uma boa experiência ao cliente com conforto de temperatura e qualidade do ar, aliada à otimização de custo nessa retomada, é o desejo de todo os varejistas. Mas hoje isso já é possível por meio do controle inteligente e remoto de refrigeração do ambiente, que, além da otimização de custos, também controla a qualidade de ar no ambiente e reduz riscos de contaminação por covid-19, evitando custos com processos trabalhistas.

De olho nessas vantagens, uma academia que faz parte de uma rede de franquias, em São Paulo, adotou o sistema e observa uma economia média de R$ 2 mil mensais, apenas com a conta de luz. Em um ano, a unidade obteve uma economia em torno de R$ 27 mil. Essa redução aumenta a competitividade da empresa pela possibilidade de alocar o dinheiro economizado para outras áreas.

A proposta controla a quantidade de equipamentos ligados, além de aumentar o tempo de vida útil dos aparelhos e reduzir a necessidade de manutenção. Simplesmente por aproveitar melhor os componentes do aparelho, que teria de ser ligado, desligado e reduzido manualmente por alguém que estivesse medindo a temperatura durante o tempo todo para chegar na eficácia dessa tecnologia. Erros humanos geram gastos excessivos.

A tecnologia vem justamente para fazer essa otimização de tempo e custo, com maior qualidade dos serviços. Ao fazer uma analogia a uma viagem com roteiro desconhecido guiada por um mapa e uma viagem com o uso do GPS, podemos deduzir qual delas será mais rápida e precisa. A tecnologia no sistema de ar-condicionado segue a mesma linha.

Além de identificar, como um computador de bordo no carro, por exemplo, peças que estavam defeituosas, comprometendo o tempo de vida útil dos aparelhos, o sistema automatizado também registra o horário de pico de temperatura do ambiente e faz os ajustes adequados às condições. O sistema também gera histórico de dados na nuvem sobre a operação do equipamento e emite alerta caso seja identificado alguma falha.

Essas informações também ajudam na manutenção das máquinas ao alertar sobre alguma ineficiência na operação, propondo tranquilidade ao cliente que não precisaria mais mexer no ar-condicionado, evitando riscos de esquecê-los ligados. Portanto, ter um sistema de refrigeração com controle inteligente e remoto será tão comum num futuro próximo quanto utilização de GPS. E você prefere qual?

*Leandro Solarenco é engenheiro, especialista em projetos e master coach, CEO da Vetor Frio & Clima, empresa especializada em ar condicionado para negócios, oferendo projetos, instalação e manutenção, as levando do nível Start ao Premium, e da ProHound, startup focada em gestão 4.0 ao oferecer automação para redução de consumo de energia e monitoramento de temperatura e umidade neste mesmo segmento.

 

Sobre admin

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Fale com os gestores